quinta-feira, 30 de abril de 2015

Atitudes que podem sinalizar comportamento violento do parceiro no futuro

Muitas mulheres se deixam envolver nas fases de namoro e paixão por atitudes de seus parceiros que elas traduzem por "ciúmes de quem está gostando!"

O problema é que a maioria das mulheres, independente de serem jovens adolescentes ou mulheres de 25, 30 ou 35/40 anos, quando estão carentes de afeto, acabam se deixando envolver e interpretam erroneamente atitudes possessivas de caráter agressivo e discriminatório.


Comportamentos que demonstram possessividade e agressividade:

- Criticar ou impedir o uso de shorts, vestidos, minissaia ou biquíni;
- Criticar ou impedir uso de blusas justas, decotadas ou de cores chamativas;
- Impedir ou proibir de sair com amigas;
- Impedir ou proibir de cumprimentar amigos, vizinhos, primos com beijo e/ou abraço;
- Impedir ou criar dificuldades para frequentar festas, bares ou encontros com amigos de colégio, faculdade, pós-graduação ou do local de trabalho;
- Impedir ou criar dificuldades para que a parceira estude - vá para o colégio, faculdade ou outros cursos;
- Exigir senha de acesso às redes sociais da namorada com discurso que entre casal "não pode haver segredo";
- Querem colocar (ou tentam instalar escondido) nos celulares programas de rastreadores, mas que, no caso dele, quase sempre "está fora de área";
- Exigir que fotos do ex sejam deletadas, jogadas fora.

Se você identificou quaisquer desses itens presentes, você já está mergulhada numa relação violenta.

Processo de dominação começa em tom apaixonante

No início dos relacionamentos as falas são sedutoras, podem ter tom cuidadoso ou de alguém inseguro com receio de se sentir ameaçado por outros homens, ou que ama/deseja muito e não quer "perder a cabeça". É nesse tom quase apaixonante que começa o processo de dominação, aí depois de algum tempo, as demonstrações vão se tornando mais frias ou irritadiças, chegando a quadros de muito controle e possessividade, que sempre esbarram na violência moral e até física.

Viver uma paixão ou um grande amor pode ser delicioso e faz parte dos desejos femininos sempre, mas perder a individualidade (só você deve saber suas senhas), sem ter que para isso abandonar relacionamentos sociais ou gostos pessoais.
Me preocupa ver adolescentes achando lindo esses controles, mulheres se sentindo encantadas com "tamanha demonstração de atenção e cuidado".
A carência afetiva de muitas mulheres as tornam cegas para relações de submissão e de violência.
Rejeitem os namorados e maridos que irão trazer prejuízos à sua autoestima e sua integridade física, moral e psicológica.

quarta-feira, 29 de abril de 2015

RELACIONAMENTO COM NAMORADO/MARIDO EGOÍSTA NUNCA PODE DAR CERTO

Namoro ou casamento com homem egoísta não tem futuro, não vai pra frente, e não adianta o que você faça. Se o seu parceiro é egoísta e hipócrita, exige de você coisas que ele mesmo não faz, caia fora!
O companheirismo e a parceria são fundamentais em um relacionamento saudável. Pessoas egoístas não deveriam se relacionar com ninguém, a não ser com elas mesmas.
Uma relação é construída para uma troca: de idéias, de experiências, de alegria, de momentos e, acima de tudo, de respeito.
Como uma ponte, o relacionamento é formado de duas partes, que se complementam, e que se sustentam mutuamente. Se apenas uma das partes sustenta a ponte, uma hora ela não aguenta a pressão, e cai!

O que é conviver com um egoísta

Algumas situações ilustram bem como é um egoísta no relacionamento:

1 - Adora um Monólogo


Ele te liga para conversar, mas geralmente você nota que ele mal pergunta como você está, e já começa a relatar como foi seu dia, os que aconteceu no trabalho, e despeja um monte de problemas no seu ouvido.
Mas quando você fala alguma coisa, ele não tem o menor interesse em ouvir, e pior, sequer escuta sobre você, ou quando o faz, você percebe que não há atenção ou real vontade em saber.
2 - Exige coisas de você que ele não faz
Se o seu parceiro está sempre exigindo coisas de você que ele mesmo não faz, além de hipócrita, ele ainda é egoísta.
Um exemplo da situação: ele quer sempre ver o seu celular, mas nunca permite que você veja o dele. Ou então, ele exige saber sempre onde você está, mas não te dá este tipo de informação.
3 - Quer Sempre Ter A Vantagem
O egoísta sempre quer tirar vantagem em tudo.
Mas um relacionamento é para que ambos tenham vantagens, é uma troca, uma chance de conhecer outro universo, de outra pessoa, é para que um ajude o outro a vencer.
Quando só um quer levar vantagem em tudo, não há quem, do outro lado, aguente esta situação por muito tempo sem se sentir lesado, desrespeitado, ou sufocado!
4 - Quem se relaciona com o egoísta
A mulher que namora ou é casada com um egoísta vai aguentar por pouco tempo o relacionamento. Ela pode até aguentar se não tiver personalidade, amor próprio e não se der valor. Mas é impossível durar.
Quando se convive com alguém que deveria ser o companheiro e que na verdade não passa de um egoísta, a mulher está sendo abusada de alguma forma.
Só você tem que abrir mão, só você tem que ouvir, só você tem que respeitar, só você tem que fazer o seu papel. O egoísta, além de não reconhecer, também é incapaz de RETRIBUIR!
E não é nem preciso falar que é impossível conviver com alguém assim.
5 - O Amor Ou O Próprio Nariz?
O homem egoísta não gosta da parceira, e só entende quando ela o coloca na marca do pênalti: um relacionamento saudável, ou o ego doentio e destemperado dele.
Como ele escolhe o ego dele, a parceira não pode se sentir responsável pela escolha dele! Ele será sempre infeliz, e só quer fazer mais pessoas infelizes ao ponto delas logo deixarem ele.
“Nossas Vidas, Nossos Sonhos Tem O Mesmo Valor…”
Quem escolhe o amor é aberto, realista e tem em mente que o mundo não gira ao redor dele. Todo mundo merece respeito, principalmente a pessoa que está ao seu lado.
FINALMENTE, UM ALERTA EXTREMAMENTE IMPORTANTE:
O namorado/marido egoísta não tem sentimentos. É frio, insensível e além do mais, agressivo, violento e assassino em potencial. 

terça-feira, 28 de abril de 2015

A correlação entre intolerância a frustração, falta de maturidade, conduta desajustada e o "homem" violento

Os "namorados", "maridos" e exs violentos não toleram frustração, pois isso deve-se a personalidade agressiva, possessiva e controladora deles. Trata-se de parceiros que não sabem perder e não tem absolutamente nenhuma maturidade, o que se percebe pelas reações agressivas, por querer sempre tudo e agora e pelos crimes passionais que cometem quando levam um fora e quando as mulheres não os querem mais. Essa conduta de não aceitar levar fora e não aceitar a ruptura do relacionamento decorre de que eles não foram ensinados a ouvir um não dentro de casa. Eles também provam que não são ajustados, pois tem uma verdadeira dificuldade para estabelecer relacionamentos com as pessoas. Quando são hóspedes na casa de alguém, fazem questão de impor suas vontades e consequentemente tem muitos conflitos, em especial quando vão morar com a namorada na casa dos pais dela, onde quebram os pratos com ela e com as demais pessoas da casa, o que decorre do fato de serem mal-educados, de serem filhos de família desestruturada e de terem sido ensinados na casa de origem que não precisam respeitar. 

sábado, 25 de abril de 2015

OS HOMENS MACHISTAS, CIUMENTOS, CONTROLADORES E POSSESSIVOS NÃO SERVEM PARA UM RELACIONAMENTO SÉRIO.

Obviamente, esse é um sinal vermelho gritante. Evitem os homens que se utilizam do sexo masculino para se sentirem superiores, controlam, sentem ciúme e acham que são donos da namorada/esposa, seja nas redes sociais, na vida real ou em qualquer lugar. Esses tipos de homem não querem outra coisa das mulheres a não ser bajulação e só querem fazer manipulação delas. São puros cafajestes que avaliam a aparência delas e contam aos amigos como se isso lhes desse vantagem. Mulheres, rejeitem esses tipos de homem pois eles não são nada carinhosos, nada românticos, não tem respeito, gostam de ser o centro das atenções e são extremamente inseguros inclusive da própria sexualidade, ou seja, são homossexuais recalcados. Mostrem o cartão vermelho para eles e os entregue a Polícia, a Delegacia da Mulher e a Justiça, sem nenhum medo e sem nenhuma pena.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Mais da metade dos atos de violência com mulheres sao em casa e praticados pelo covarde que se diz "namorado" ou "marido"

68,8% dos homicídios ocorrem dentro de casa e são praticados pelos cônjuges (ou namorados, noivos ou maridos e também os ex-namorados, ex-noivos ou ex-maridos).
É triste para mim saber que mulheres são agredidas e perdem a vida por causa da POSSESSIVIDADE VIOLENTA, DOENTIA E PSICOPÁTICA do seu “namorado” ou "marido".
• RESPEITEM AS MULHERES! 
• AS MULHERES NÃO SÃO OBJETOS DE USO, TEM AS VIDAS DELAS E VONTADES PRÓPRIAS E DEFENDO A LIBERDADE DELAS JUNTO COM ELAS! SÃO ELAS QUE DECIDEM COM QUEM DESEJAM FICAR. NINGUÉM É OBRIGADO A FICAR COM NINGUÉM QUE NÃO GOSTE!
• SE A RELAÇÃO NÃO TEM MAIS POSSIBILIDADE DE CONTINUAR, RESPEITE A DECISÃO DE SUA NAMORADA OU ESPOSA PORQUE NINGUÉM É DONO DE NINGUÉM. 
• GOSTAR DE ALGUÉM NÃO É PRIVAR A PESSOA DE SEUS DIREITOS DE LIBERDADE. ISTO NÃO É AMOR, É VIOLÊNCIA.
• As mulheres devem estar cientes e preparadas para PERCEBER os primeiros sinais da psicopatia de seus perseguidores e se AFASTAREM e DENUNCIAR À POLÍCIA E A DELEGACIA DA MULHER antes que aconteça algo pior;
• Os pais devem estar sempre em alerta, controlar, participar da vida de suas filhas para detectar este tipo de comportamento de namorados/maridos possessivos e agressores. Sabemos que nem sempre é possível mas procurem estar sempre presente na vida de vossas filhas e ajudá-las nestes momentos difíceis. Muitas das vezes as filhas escondem de seus pais este fato mas há indícios e estes podem ser detectados se forem observados de perto.
• DENUNCIE sempre à Polícia e a Delegacia da Mulher para que estes feminicidas (agressores/assassinos de mulheres) não tenham a possibilidade de VIVER IMPUNEMENTE na sociedade. Não devemos dar-lhes a possibilidade de repetir seus atos cruéis contra as mulheres, fazendo novas vítimas.
A MULHER NÃO NASCEU PARA MORRER NAS GARRAS DESTES FEMINICIDAS.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Cobrar que as namoradas e esposas façam uma conta de casal em redes sociais e no whatsapp e impedi-las de usar shortinhos, mini-saias, vestidinhos, blusas decotadas e de ir a praia usando biquíni são dois comportamentos abusivos e extremamente desrespeitosos, pois elas tem os direitos de vestir o que quiserem, usar as roupas que se sentirem bem e cuidar da vida delas.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

O homem que profere a frase "quem manda sou eu" para a namorada/esposa não é somente machista. É um ciumento doentio, extremamente violento e perigoso. O "homem" que profere a referida frase merece ser descartado e se a vítima estiver com ele, deve terminar o namoro/se divorciar e ainda denunciar o meliante, pois nenhum "homem" tem o direito de mandar na vida da namorada/esposa.

terça-feira, 21 de abril de 2015

Os chefes/colegas que medem forças e praticam assédios moral e sexual podem ser perfeitamente equiparados a maníacos sexuais. Não existe diferença de comportamento entre essas espécies criminosas.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Fazer cenas de ciúme e cobrar que a namorada/esposa reate o relacionamento é violência contra a mulher, bem como tirar satisfações com ela por causa da ruptura do namoro/casamento e exigir explicações sobre a decisão.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Confiança é o que parceiros violentos não merecem

Confiança é como uma taça de cristal
Uma vez trincada, jamais será igual
Portanto mulherada, para não se dar mal
Rejeitem o parceiro violento, que é marginal


Em briga de marido e mulher
Todo mundo mete a colher
Mulher tem direito a igualdade
E ao respeito a pessoa e a integridade


Parceiros violentos não merecem confiança
O que eles representam é a dor da lembrança
Isso decorre do fato deles serem atores
As mulheres são lindas como as flores


E estão aí para serem tratadas com carinho
Acolhidas, amadas e mimadas com agradinho
Toda mulher encanta por ser Princesa
E precisa ser tratada com delicadeza

quinta-feira, 16 de abril de 2015

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Machismo, ciúme, controle e sentimento de posse não são amor.
São provas de que um "homem" é mau-caráter.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Os namorados/maridos machistas, ciumentos, controladores e possessivos podem ser perfeitamente equiparados a maníacos sexuais. Não existe diferença de comportamento entre essas espécies criminosas.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

4 sinais de que você está sendo manipulada

A pior parte de ser manipulada em um relacionamento é que, muitas vezes, você nem sabe que está acontecendo."Homens" manipuladores distorcem seus pensamentos, ações, desejos e vontades em algo que se adequa melhor ao modo como eles vêem o mundo. Assim eles moldam você para servir aos seus próprios fins. É assustador.


1. Ele faz você se sentir culpada por tudo.

A manipulação sempre começa com culpa. Se ele pode convencê-la a se sentir culpada por suas ações (mesmo quando você não fez nada de errado), então ele sabe que você estará mais predisposta a fazer o que ele diz. "Eu acho que o jantar estava bom. Não foi o que eu esperava, preferia que você tivesse feito algo diferente, mas acho que, se você estiver feliz, isso é tudo o que importa. Eu te amo e a sua felicidade é importante para mim, mesmo que isso signifique deixar de lado o que eu quero".

Viu o que ele fez? Como ele usou as palavras para virar a situação contra você? Aparentemente, ele faz parecer que é um namorado/marido amoroso, mas fica o alerta: quem ama não culpa.

Manipuladores também tentam fazer você acreditar que eles estão tentando ´´te amar melhor´´, de modo que você fique mais disposta a deixar de lado o que você quer. É um jogo ardiloso.

2. Ele faz você duvidar de si mesma.

Quer saber por que é tão fácil para ele manipular você? Porque ele ´´ferrou´´ você até o ponto em que você já não confia mais em si mesma. É isso mesmo, manipuladores tomam suas inseguranças e usam contra você. Eles sempre apontam o que você está fazendo "errado" e como eles poderiam ter feito melhor. Eles ressaltam seus pontos fracos e, em seguida, mostram que, com a sua ajuda, você pode fazer melhor, ser melhor. Eles lentamente convencem você de que se interessam pelo seu bem-estar ... mas não fazem nada por você.

A fim de manter os seus desejos e necessidades na vanguarda de seu relacionamento, eles gentilmente distorcem o seu pensamento até que você precise consultar a sua opinião sobre tudo. Quando isso acontece, o manipulador pode fazer com que você faça tudo o que eles querem que você faça, porque agora você confia mais nele do que em si mesma.

3. Ele faz você se responsabilizar pelas emoções dele.

Manipuladores são irônicos, no sentido de que eles tentam fazer você se sentir como se não pudesse pensar por si mesma, mas, em seguida, mudam e responsabilizam você pelo que estão sentindo. Se ele está triste, provavelmente é porque você o fez se sentir assim. Se ele está com raiva, bem, obviamente foi você quem fez algo errado.

Por mais que tentem fazer você acreditar que é totalmente incapaz de controlar a sua própria vida, eles esperam que você seja responsável pela forma como eles se sentem. Insano.

4. Ele faz você acreditar que você quer o que ele quer.

Todos nós iniciamos nossas relações com exigências e negociações - é natural, quando se começa a união de duas vidas, que alguns compromissos sejam feitos. O que não é normal: Quando você precisa deixar de lado tudo o que você quer, em um esforço para apaziguar o seu parceiro. Se você começar a perceber que as necessidades do seu parceiro estão sendo atendidas com muito mais freqüência do que as suas; cuidado, você pode estar namorando ou casada com um manipulador.

Você está cedendo para o que ele quer para se livrar de sentimentos de culpa? Ou porque ele fez você se sentir responsável pela forma como ele se sente? Você desistiu do que queria porque ele fez você acreditar que deveria querer algo mais? Se você respondeu "sim" para qualquer uma dessas perguntas, é por que chegou a hora de descartar essa relação.

Fonte: http://www.psiconlinews.com/2015/03/4-sinais-de-que-voce-esta-sendo.html

domingo, 12 de abril de 2015

Denuncie a violência obstétrica

Para denunciar violências na hora do parto, solicite o prontuário médico no hospital e procure a Defensoria Pública do município. Além disso, encaminhe uma carta detalhando os procedimentos e envie para a Ouvidoria do Hospital, para a Secretaria Municipal de Saúde, para a Secretaria Estadual de Saúde e, em casos de planos de saúde, para a Diretoria do Plano de Saúde.

sábado, 11 de abril de 2015

O "homem" que profere contra sua namorada/esposa a frase "se ela não for minha, não será de mais ninguém", não é somente ciumento doentio. É prepotente e autoritário.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

As práticas de violência obstétrica mais comuns

Agressões verbais, recusa de atendimento, privação de acompanhante, lavagem intestinal, jejum, episiotomia, separação de mãe e bebê saudável, introdução de chupeta e complemento sem autorização estão entre as práticas mais comuns.

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Assédio em locais públicos é CRIME. Tem que ser respeitada a vontade das mulheres

As mulheres não gostam de receber cantada na rua. Dar cantada é violência contra a mulher, independentemente do que digam os perpetuadores dessa prática. É impossível dissociar a ação desses indivíduos das demais agressões físicas e psicológicas das quais as mulheres são vítimas. São todas parte de um mesmo desprezo pelos direitos do próximo. É crime. Sempre que existe interação sexual não consensual é crime, e os agressores têm de ser individualmente responsabilizados por isso.

domingo, 5 de abril de 2015

O Caráter Psicológico da Violência Obstétrica

Toda ação ou comportamento que cause na mulher sentimentos de inferioridade, vulnerabilidade, abandono, medo, insegurança, perda de integridade, dignidade.
Exemplos: piadas, humilhações, grosserias, chantagens, ofensas, omissão de informações, informações em linguagem pouco acessível, desrespeito `a padrões culturais, preconceito, discriminação, culpabilização, chantagem, privação do contato com o bebê, privação a um acompanhante na hora do parto - Lei Federal no 11.108/2005, a RDC 36/2008 da ANVISA, as RNs 211 e 262 da ANS e o Estatuto da Criança e do Adolescente, no caso das adolescentes grávidas - comentários maldosos, chacotas, humilhação, ameaças

sábado, 4 de abril de 2015

Riscos da episiotomia

Além de não existir evidências de que o procedimento traz benefícios à parturiente, ainda existem as possibilidades de dores, edemas, infecções, hematomas e dores durante o ato sexual.

A episiotomia é uma agressão e uma mutilação vaginal por ser praticada sem o consentimento da mãe, além de causar dor, demorar a cicatrizar, causar queloide, dessensibilização ou hipersensibilização, requerer mais pontos que uma laceração natural e estourar com mais facilidade.

A episiotomia não apresenta NENHUM benefício, e associa-se a danos consideráveis como dor, maior necessidade de analgésicos e lacerações perineais graves.

CONCLUSÃO: Na ausência de benefícios e com um potencial para malefícios, o procedimento PRECISA ser abandonado. Episiotomia é violência contra a mulher.


sexta-feira, 3 de abril de 2015

O que leva um "homem" a assediar uma mulher?

É preciso existir uma predisposição de caráter para que haja esta prática. 
E o caráter é inato e não adquirido.
Por mais que o indivíduo seja fruto das experiências que viveu ao longo da vida, a atitude está relacionada ao caráter. Infância conturbada ou cheia de violências e desrespeitos pode estar relacionada a essas práticas.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

O CICLO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

A violência doméstica funciona como um sistema circular – o chamado Ciclo da Violência Doméstica – que apresenta, regra geral, três fases:
1. aumento de tensão: as tensões acumuladas no cotidiano, as injúrias e as ameaças tecidas pelo agressor, criam, na vítima, uma sensação de perigo iminente.
2. ataque violento: o agressor maltrata física e psicologicamente a vítima; estes maus-tratos tendem a escalar na sua frequência e intensidade.
3. lua-de-mel: o agressor envolve agora a vítima de carinho e atenções, desculpando-se pelas agressões e prometendo mudar (nunca mais voltará a exercer violência).
Este ciclo caracteriza-se pela sua continuidade no tempo, isto é, pela sua repetição sucessiva ao longo de meses ou anos, podendo ser cada vez menores as fases da tensão e de apaziguamento e cada vez mais intensa a fase do ataque violento. Usualmente este padrão de interação termina onde antes começou. Em situações limite, o culminar destes episódios poderá ser o homicídio.