sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Mulheres, nunca acreditem no agressor

Não fiquem caladas, não deixem isso se repetir, não acreditem em arrependimento, presentes e juras de amor. Quem faz uma, faz duas e três e mais... Denunciem impiedosamente! Vocês não precisam de agressor pra nada!

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

15 frases típicas de homens ciumentos que indicam que a relação é uma furada

1 - “Eu confio em você, mas não nos outros”
2 - “Eu sei que ele é seu amigo, mas nosso namoro também começou depois de uma amizade”
3 - “Por que está online a essa hora?”
4 - “Com quem você troca tantas mensagens nesse telefone?”
5 - “Você não entende... Eu sei como são os homens”
6 - “Onde você vai assim, tão arrumada?”
7 - “Não sabia que você era tão amiga assim desse cara”
8 - "Por que não atendeu ao celular quando te liguei?”
9 - “Quem é esse cara que te adicionou no Facebook?”
10 - “Me empresta seu celular para eu ver uma coisa?”
11 - “O que aquele cara que estava falando com você queria?”
12 - “Não sou ciumento, só cuido do que é meu”
13 - “Puxa, você tem muitos amigos homens no Facebook, hein”
14 - “Seus amigos não gostam de mim?”
15 - “Tchau... E comporte-se”
Fonte: http://www.bolsademulher.com/amor-e-sexo/15-frases-tipicas-de-homens-ciumentos-que-indicam-que-a-relacao-e-uma-furada/?utm_source=facebook&utm_medium=manual&utm_campaign=BolsaFB

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Dia de combate a violência contra as mulheres

Hoje, dia 25 de novembro, é uma data muito especial para mim.
Hoje é o dia de combate a violência contra as mulheres.
Me sinto feliz por atuar em favor do direito das mulheres a vida sem violência, pois elas podem e devem ter a paz, o respeito e o carinho que merecem. 
Todas as mulheres são especiais, e elas tem os direitos de recusar o que a sociedade cobra delas, de não serem coisificadas por campanhas publicitárias, de não sofrer nenhum tipo de violência e de não querer um parceiro, pois a felicidade das mulheres não depende de arrumar namorado nem de se casar e ter filhos.
Ninguém tem o direito de julgá-las nem de cometer abusos por elas serem mulheres.
Elas podem e devem ser independentes, e os namorados/maridos não tem o direito de exigir que ela fique em casa e faça as tarefas domésticas, muito menos de abusar delas por que elas não querem correspondê-los. 
Os homens não tem nenhum poder sobre as mulheres, pois elas são seres humanos com vontades, interesses e direitos, e isso tem que ser respeitado. 
Elas não são propriedades de nenhum homem nem tem obrigação de atender a um sistema. 
Quem dita as regras são elas.

Uma homenagem de Rui Ricardo Soares Melo Filho - criador deste blog
Com amor, carinho e dedicação


Como Reconhecer um Relacionamento Abusivo

Você está se perdendo em uma relação controladora e destrutiva? Você acha que seus amigos estão se afastando, enquanto seus familiares dizem que você não parece a mesma pessoa de antes? Antes que você possa recuperar sua individualidade e força, você deve perceber se o seu relacionamento está subtraindo ao invés de somar, e, se for esse o caso, você deve pôr um fim a esse ciclo destrutivo.


1
Avalie a relação honestamente. Essa relação é saudável ou lhe faz mal? Tente ser objetivo(a) ao analisar como as coisas mudaram desde que seu relacionamento começou.
2
Pergunte a si mesmo(a) se você está em um relacionamento abusivo. Observe a lista abaixo, da Universidade de Virginia, e responda honestamente sem justificar o comportamento do seu parceiro (ou seja, não diga “Bem, ele não é assim o tempo todo” ou “isso só aconteceu uma vez ou duas”). Responda simplesmente sim ou não. Se você responder “sim” para muitas das questões, você provavelmente está em um relacionamento controlador e abusivo.
  • Seu parceiro:
    • Faz você passar vergonha na frente dos seus amigos ou família?
    • Desincentiva suas realizações e objetivos?
    • Faz você se sentir incapaz de tomar decisões?
    • Usa intimidação ou faz ameaças para conseguir as coisas?
    • Fala que você não é nada sem ele?
    • A trata rudemente – puxa, empurra, belisca ou bate?
    • Liga várias vezes ou aparece para se certificar de que você está onde disse que estaria?
    • Usa drogas ou álcool como desculpa para dizer coisas que magoam?
    • A culpa por como ele se sente ou age?
    • A pressiona sexualmente a fazer coisas para as quais você não está pronta?
    • A faz sentir como se não houvesse "escapatória" desse relacionamento?
    • A proíbe de fazer coisas das quais você gosta, como passar um tempo com amigos ou família?
    • Tenta impedi-la de partir ou a deixa em algum lugar após uma briga para "ensinar-lhe uma lição"?
  • Você:
    • Sente medo, algumas vezes, de como seu/sua parceiro(a) irá agir?
    • Cria desculpas constantemente para outras pessoas pelo comportamento de seu/sua parceiro(a)?
    • Acredita que você poderia ajudar seu/sua parceiro(a) a mudar se ao menos você mudasse alguma coisa em si mesmo(a)?
    • Tenta não fazer coisa alguma que causaria uma briga ou deixaria seu/sua parceiro(a) com raiva?
    • Acha que, não importa o que você faça, seu/sua parceiro(a) nunca está feliz com você?
    • Sempre faz o que seu parceiro quer que você faça em vez de o que você quer fazer?
    • Está com seu parceiro porque você tem medo do que ele faria se vocês terminassem? 
    • Está com seu/sua parceiro porque você tem medo do que ele faria se vocês terminassem?
    • Avalie como seus outros relacionamentos mudaram. O seu relacionamento familiar e as suas amizades repentinamente se enchem de tensão quando o nome de seu/sua parceiro(a) surge? Fique atento(a) se todos aqueles que se importam com você começarem a se preocupar ou estiverem sendo repelidos.
    • Essa pessoa traz à tona suas piores ou melhores características? Cada um alimenta o que há de melhor no outro ou você percebeu que suas atitudes mudaram, tornando-se mais parecidas com as de seu/sua parceiro(a), deixando por último sua família e amigos?
    • Fique alerta a como ele(a) se comporta com seus amigos e família, especialmente se ele(a) os interrompe, os contradiz ou os trata com desdém. Se você sente necessidade de se desculpar ou explicar o comportamento dele(a), então, existe algum problema.
    • Você está percebendo que vem se tornando mais fácil não passar um tempo com as pessoas que você ama há anos do que criar desculpas e justificativas?
    • Reconheça sua cegueira em relação aos erros do seu/sua parceiro(a). Amor excessivo não é necessariamente uma coisa ruim. Na verdade, pode até ser necessário e bom; contudo, ele faz com que você fique temporariamente "insano(a)" na primeira parte do relacionamento. Algumas vezes, nossa parte sonhadora faz com que fechemos nossos olhos para sinais de aviso, mesmo que, de algum modo, saibamos que nossos amigos ou familiares têm razão quando dizem que não gostam disso ou daquilo sobre nosso(a) parceiro(a). Pergunte a si mesmo(a):
      • Você se vê pedindo desculpas ou defendendo o comportamento de seu/sua parceiro(a)? Se você fica na defensiva quando alguém questiona seu relacionamento, você provavelmente já está ciente de que existe algum problema ainda não resolvido.
      • Lembre-se de que pessoas em relacionamentos saudáveis, na maioria das vezes, não têm nada a esconder, embora claramente tenham direito a privacidade e não tenham que compartilhar ou mostrar cada detalhe da vida ao parceiro. Na verdade, quando um relacionamento é saudável, seus amigos e familiares normalmente reconhecem que essa pessoa o(a) faz feliz e traz à tona o seu melhor, e ficarão felizes por vocês dois.
      • Perceba se seus planos são continuamente cancelados em favor dos dele(a). Se você está sempre mudando seus planos para fazer o que ele(a) quer ou se está sempre se encontrando com os amigos dele(a).
      • Todos os seus relacionamentos passados foram substituídos por amigos de seu/sua parceiro(a) ou por novos amigos que você fez desde que vocês começaram a namorar? Cortar seus laços com as pessoas que você conhecia significa que seu/sua parceiro(a) fez dele(a) o centro do seu universo.
      • Esteja atento ao que as outras pessoas pensam de seu/sua parceiro(a). Quando você está falando com amigos em comum, eles já disseram alguma coisa sobre seu/sua parceiro(a) que fez você parar e dizer: "O que? Mas ele disse outra coisa para mim, acho que você entendeu errado". Então, você descarta a ideia de que o que seus amigos ouviram era verdade. Isso é um sinal para começar a se preocupar.
        • Quando você está sendo controlado ou manipulado, isso geralmente se dá através de meias verdades ou omissões, não por mentiras descaradas. Há apenas "estranhezas" o bastante para fazer você parar e pensar, mas não tantas a ponto de levá-la a reavaliar todo o seu relacionamento.
        • Se isso acontece com frequência, pare e lembre a si mesmo(a) de que essa não é a primeira vez que você teve essa reação. Comece a analisar as discrepâncias entre o que seu parceiro disse e o que seus amigos disseram. Chame seu parceiro e seus amigos para se confrontarem, e, se as respostas dele não forem satisfatórias, está na hora de avaliar sua relação de modo mais sério. E não atrase a sua análise, isso pode salvá-la de um desastre mais tarde.
        • satisfatórias, está na hora de avaliar sua relação de modo mais sério. E não atrase a sua análise, isso pode salvá-la(a) de um desastre mais tarde.
        • Mantenha a seu lado pessoas que o(a) apoiem. Cortar relações com seus amigos e familiares, que são seu apoio, o(a) ajuda a ganhar domínio sobre você.
        • Perceba que um parceiro(a) controlador irá tratar seus amigos com desrespeito – seus amigos irão falar dos comportamentos rudes que seu parceiro teve pelas suas costas ou você irá vê-lo tratá-los de uma forma depreciativa ou rude. No entanto, quando você estiver com ele, ele nunca dirá nenhuma coisa ruim sobre seus amigos, ao contrário, fará até elogios. Ele faz com que você acredite que seus familiares e amigos são simplesmente ciumentos, que não o entendem, etc.
        • Quando você se ver falando para seus familiares ou amigos "Mas vocês precisam entendê-lo como eu entendo", isso é um mau sinal. Por que todos deveriam entendê-lo e mudar seus comportamentos – quando seria mais fácil ele se ajustar aos deles? É muito mais fácil para seu parceiro lhe controlar quando você pensa que seus amigos simplesmente não o entendem, e, logo, você não terá mais ninguém a quem recorrer, a não ser a ele mesmo.
        • Reconheça possessividade ou ciúmes excessivos. Se seu parceiro é protetor, tudo bem. Se ele é assustadoramente super-protetor, existe um problema. Perceba se ele constantemente reclama sobre quanto tempo você demora para ir ao supermercado ou correios. Ele lhe pergunta por que você não chegou em casa exatamente na hora ou se você saiu por alguma razão? Ele questiona intensamente por que você estava falando com outra pessoa? Ele lhe diz que você não se importa com ele ou com seus filhos quando você passa um tempo com algum amigo?
        • Cuidado com os "critérios duplos" e situações em que não há como ganhar. Seu/sua parceiro(a) aplica um critério ao seu próprio comportamento e outro ao seu? Por exemplo, não há nada errado se ele(a) estiver duas horas atrasado(a), mas briga com você se você chegar 5 minutos mais tarde? Para ele(a) está tudo bem flertar com outra pessoa, mas é infidelidade se você fizer a mesma coisa? Comportamentos como esses são conhecidos como “comportamentos duplos”. Situações em que não há como ganhar são situações em que você é menosprezado pelo o que quer que você faça – se você guarda dinheiro, você está sendo avarento(a); se o gasta saindo, é descuidado(a) com dinheiro. Todos esses padrões de comportamento são comuns em relacionamentos controladores e manipulatórios.
        • 9
          Seja cauteloso(a) com cortejos depois de brigas. Ele(a) fez alguma coisa que é totalmente inaceitável e, em seguida, pede seu perdão, diz que percebeu que estava errado(a) e promete mudar. Ele(a) parece completamente sincero(a) e convincente – mas isso é parte do controle que ele(a) exerce sobre você. É uma forma de usar sua compaixão para manter você interessado(a).
          • Nesse ponto, ele(a) pode até chegar aos prantos pedindo sua ajuda para mudar, particularmente se você deixar claro que não vai mais tolerar esse tipo de comportamento. Ele(a) pode lhe dar presentes generosos e tentar amolecer seu coração, e, de novo, convencê-lo(a) de que ele(a) realmente o(a) ama (até pode amar, mas de uma maneira controladora e abusiva).

          • 10
            Cuidado com os elogios indiretos. Dizer "Ninguém vai te amar do jeito que eu te amo" parece ser bonito, mas ele quer fazer você acreditar que ninguém além dele irá chegar a amar você de novo. Atitudes como essa alimentam uma grande dependência do amor dele. Com o tempo, essas ideias acabam com seu senso de confiança. Você vai começar a acreditar que não é digna de um tratamento melhor e que seu parceiro é o melhor que você vai conseguir. Não acredite nisso, você merece muito mais – e é isso que você deve ter.
            11 Pare de se rebaixar por amar essa pessoa. Perceba que, apenas superficialmente, ele(a) é maravilhoso(a) e que você não deve se rebaixar por estar atraído(a) por isso. Essas pessoas geralmente são uma estranha mistura de grande intelecto ou talento, mesclados à baixa autoestima.
            • Pessoas controladoras não conseguem deixar as coisas acontecerem naturalmente – elas sentem que devem controlar tudo, senão, na mente delas, as coisas irão lhes escapar. Então, são compelidas por seus medos interiores a serem elas a controlarem tudo e todos. Mas o pior é que elas provavelmente são bonitas, inteligentes, divertidas e charmosas. Não é atoa que muitos são atraídos por esses tipos de pessoas.
            • Dicas
            • Reconheça que quase todos são capazes de comportamentos manipulatórios de vez em quando – todos nós queremos as coisas no nosso jeito ou queremos vencer uma discussão. Mas quando você começa a reconhecer muitos dos sinais listados acima, está na hora de analisar com mais cuidado seu relacionamento e decidir se ele é um relacionamento saudável e igualitário.
            • Não descarte as opiniões de seus amigos e familiares; eles só querem o seu melhor. Apenas uma pessoa pode ser ignorada – muitas não. Eles lhe falam que você tem agido de forma estranha ultimamente? Eles comentam o quanto você está diferente – e não de uma boa forma? Alguém que você ama e respeita expressou antipatia por seu/sua parceiro(a)? Pergunte a si mesmo(a): “Minha mãe, que sempre esteve certa sobre tudo, está errada sobre esse namorado(a)?”. Se mais de um amigo ou familiar estiver expressando antipatia por seu/sua novo(a) parceiro(a), comece a dar mais importância para as opiniões negativas.
            • A chave para toda essa discussão é reconhecer que o controle sobre você é sutil e geralmente ocorre com o passar do tempo. Todo o objetivo deste artigo é ajudar você a examinar seu relacionamento e perceber os sinais de aviso. Apenas um sinal pode não ser um problema. Quatro ou cinco – comece a conversar com amigos ou familiares. Se eles confirmarem os sinais, é hora de reavaliar seu relacionamento.
            • certifique-se de que seu relacionamento seja baseado em dar e receber, e que seu/sua parceiro(a) dá tanto quanto recebe. Por exemplo, imagine que você tem que fazer algo importante, como uma prova, e deve sacrificar seu momento com ele(a). Ele(a), em um primeiro momento, aceita sem problema algum, e vai para sua casa apenas para lhe fazer companhia enquanto você estuda. Uma vez em sua casa, ele começa a falar coisas como: “Você não deveria estar estudando enquanto estamos juntos. Essa prova não é tão importante assim, e é muito rude de sua parte não me dar atenção”. Você deve ficar atento(a). Um relacionamento saudável resume-se em dar e receber. Um relacionamento controlador força você a escolher constantemente entre seu/sua parceiro(a) e coisas importantes em sua vida. Ter um relacionamento não é apenas mostrar afeição e dar presentes. Também significa trabalhar de um modo cooperativo em diversos assuntos, não só nos românticos.
            • A pessoa controladora geralmente sai primeiro da relação; ele(a) começa a se enjoar de você e pede o término do relacionamento. Mas, a menos que ele(a) seja a pessoa a terminar a relação, ainda que esteja óbvio o interesse dele(a) em outra pessoa, ele(a) irá surtar se for você quem terminar a relação e ficará lhe culpando por muito tempo pelo seu abandono.
            • Não seja maldoso(a) quando tiver que terminar o relacionamento. Você não tem que ser igual a ele(a) para conseguir romper o namoro. Apenas diga que vocês dois não combinam e que você não quer continuar com o relacionamento. Ponto final. Não tente mostrar para ele todos os sinais mencionados anteriormente. Esse tipo de pessoa nunca reconhece os próprios erros.
            • Abra-se para seus amigos e familiares – peça desculpa a eles por tê-los posto de lado e não ter dado crédito às opiniões deles sobre essa pessoa. Diga que você deveria tê-los ouvido. Tire toda a raiva e remorso de dentro de você. Seus amigos irão ficar felizes por tê-lo(a) de volta.
            • Resista à tentação de ficar amargurado(a) após essa experiência. Você sobreviveu a uma situação muito difícil e viveu para contar a história!
            • Avisos
            • Pessoas controladoras geralmente são assim por fatores externos, como pais abusivos e doenças mentais. Você não pode ter esperanças de resgatar tal pessoa por conta própria. Há duas alternativas: (A) recusar ser vítima delas ou (B) direcioná-las a uma ajuda profissional.
            • A probabilidade de comportamentos violentos e perseguições nesse tipo de pessoa é maior do que nas outras. Se você se sente perseguido(a), comunique às autoridades e tome medidas para aumentar sua segurança (viaje com outras pessoas, fique com amigos, evite lugares que vocês frequentaram juntos, etc.).
            • Se ele(a) aparecer à sua porta depois que vocês terminarem, não o(a) deixe entrar se você estiver sozinho(a). Tenha alguém por perto se você decidir conversar com ele(a) (o que não é recomendado), mas mesmo que você tenha alguma compaixão, a solução melhor e mais fácil é cortar o contato.
            • A compaixão não é facilmente entendida ou aceita por essas pessoas, e, no final, isso apenas machucará a vocês dois, já que isso será usado como uma arma contra você. Cortar o contato com essa pessoa pode parecer cruel, mas acaba com as brigas e força a pessoa a seguir em frente ou procurar ajuda.
            • Tenha cuidado com perseguições e ameaças a você, familiares e amigos. Tenha cuidado até com ameaças suicidas. Não confie em seu julgamento para determinar quais ameaças são verdadeiras ou não. Denuncie-as à polícia imediatamente. Essa pessoa está em uma fase difícil e perigosa, então, não corra riscos. Se necessário, recorra a uma ação cautelar de afastamento e chame polícia sempre que ela for violada.
            Fonte: http://pt.m.wikihow.com/Reconhecer-um-Relacionamento-Abusivo

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Atenção ao questionário abaixo!

1. Ele grita com você?
2. Ele te deixa com a auto-estima baixa?
3. Ele regula o que você veste?
4. Ele regula com quem e pra onde sair?
5. Ele te deixa insegura, ameaça deixá-la se você não fizer o que ele quer?
6. Ele faz uso da força ou de pressão psicológica para ter relações sexuais com você?
7. Ele não respeita o seu não?
8. Ele te considera incapaz, inferioriza sua inteligência usando termos do tipo: "burra", "idiota", "você não é capaz", "você não entendeu o que eu disse"?
9. Faz gaslighting, te chamando de "louca", "neurótica e "desequilibrada"?
10. Ele já te agrediu fisicamente, desde empurrões, beliscões, puxões de cabelo, até socos e chutes?

Se sua resposta é sim para pelo menos uma dessas perguntas, o relacionamento é abusivo. Fujam desse tipo de relação, procurem amigos, parentes que possam ajudar. Se vocês se sentirem ameaçadas, procurem a delegacia da mulher, que mesmo com toda a burocracia, é a melhor medida a se tomar. Por favor, não se calem. NÃO SE CALEM!!

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Nenhuma mulher gosta de assédio e de cantadas. Fiu fiu é abuso

Primeiro vem a cantada. Depois insinuações desrespeitosas. Aí quando não rola uma conexão (quase sempre), chega o momento de partir para o assédio sexual. 

Esse ciclo, familiar para mulheres do mundo inteiro, é uma forma de violação dos direitos humanos que se torna devastadora para o fator psicológico da mulher. Em parte dos casos, a condição física também é violada e compromete os princípios da intimidade e dignidade da pessoa humana.

As queixas são variadas. É a mãozinha boba no ônibus ou metrô, aquele grito ofensivo no meio da rua - na frente de todos promovendo uma exposição desnecessária - ou o patrão no trabalho que se aproveita da condição hierárquica para oprimir e obter vantagem sexual das mulheres. Segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho) 52% das mulheres já sofreram assédio no trabalho.

Para conhecimento: Com a Lei nº 10.224, o assédio sexual passou a ser considerado crime e agora faz parte do Código Penal Brasileiro, inserido no artigo 216-A. 


Caso precise de ajuda, você pode procurar a Delegacia de Defesa da Mulher na sua cidade ou pelo Disque 180

domingo, 22 de novembro de 2015

Mulheres, nunca façam nada por um agressor, pois eles nunca vão mudar

Não paguem psicólogos/psiquiatras para "namorados" ou "maridos" agressores, não acreditem neles, por que eles não mudam. Eles são psicopatas e portanto não tem jeito, por que eles agridem por ruindade e mau-caratismo. Eles são maus, indignos do amor de uma mulher e incapazes de amar e de gostar das pessoas.

sábado, 21 de novembro de 2015

Perfis que devem ser evitados

Com base em um estudo preambular, estão elencados alguns perfis que devem ser simplesmente evitados:

1) Evite Relacionamento com homens dependentes ou usuários químicos e alcoólatras, eles lideram as estatísticas de agressões contra a mulher.Atenção, tome cuidado com usuários de maconha e/ou cocaína, pois eles tendenciam a serem mentirosos patológicos,e após o lapso promovido pela droga, evocam à minimização da agressão e negação do comportamento agressivo, para eles inclusive eles não usam drogas!
2) Evite relacionamento à Base do interesse financeiro/drogas/fama/popularidade, todo relacionamento que não é fundamentado no amor, é vulnerável a abusos constantes, pois se torna uma relação mercantil com um proprietário e um produto.Muito cuidado
pois um percentual alto de casos assim, são omitidos todos os anos, pois o dinheiro acaba sendo mais um fator contrário a mulher no ato da acusação! Neste grupo se destacam com grande incidência empresários, jogadores de futebol,artistas de televisão, cantores, jornalistas e produtores de mídia!
3) Evite Relacionamento com contraventores,corruptos,criminosos, grande parte destes casos não são relatados ou denunciados pelas vítimas,por medo do infrator.
Acredita-se que a maioria das mulheres que se envolvem com este grupo, sofre constantemente agressões verbais e/ou físicos, e muitas
vezes até de ordem até sexual! Evite sequer amizade com este grupo, pois o dinheiro fácil momentâneo, pode custar a sua vida!
4) Evite Relacionamento com homens com imagem pública acima de qualquer suspeita, que mudam o comportamento radicalmente quando perante terceiros e isolado com uma mulher! O rápido transitar em segundos de um cavalheiro perante terceiros e um rude com você é um forte indício de alguém que deseja cultivar uma imagem de respeitador para nunca desconfiarem do seu perfil obscuro!
5) Evite Relacionamento com homens inseguros de sua virilidade,ou seja muito possessivos ou ciumentos, porque normalmente este transtorno psicológico eclode em um sentimento de posse do mesmo, tratando a mulher como propriedade/objeto!
6) Atente-se a vida familiar da pessoa com quem se relaciona, pois filhos de pais excessivamente autoritários,que foram vítimas de violência, normalmente são grandes responsáveis por promover agressões contra sua cônjuge.
7) Evite Relacionamento com homens muito mais velhos: Em torno de 12% de casos registrados, são provenientes de uma grande diferença de idade entre o casal, normalmente 12 anos para cima! O conflito de geração é um catalizador, para o surgimento do "espancador", pois a diferenciação de perfil em transição, promove o sentimento absurdo de posse,que como consequência acaba em agressão verbal e/ou física!
8) Analise o passado da pessoa com quem se relaciona, normalmente um agressor convicto, possui um passado de agressões, e pode
ser facilmente detectado em uma breve entrevista com sua vida passada.
9) Evite Relacionamento com religiosos extremistas: Homens que postulam uma voracidade, autoritarismo e engajamento religioso extremo, normalmente são adeptos de uma vida dupla, e quando confrontados, eclodem em violência contra seu cônjuge! 
Casos contra evangélicos pentecostais,ceitas,satanistas,muçulmanos radicais e judeus arcaicos são recordistas neste perfil! Cuidado com homens que se projetam 100% como santos e autoridade máxima perante a sociedade, existe uma linha tênue para o abuso!
10) Evite Relacionamento com pessoas de culturas que não respeitam as mulheres: 
A Grande maioria de membros de uma cultura, que não respeita
as mulheres acaba perpetuando este terror por gerações, exemplo disto são indianos,paquistaneses,países do sudeste asiático e boa parte dos países árabes e adeptos do islamismo radical!Entenda não é xenofobia, apenas cuidados necessários devido a incompatibilidade de ideologia!
11) Evite Relacionamento com homens com forte depreciação emocional, homens com desfavorecimento físico ou intelectual, perante a sociedade, 
normalmente se demonstram afáveis,amorosos e atenciosos no início de um relacionamento, mas normalmente seu transtorno psicológico(quase uma psicopatia), mediante a esta limitação que ele imagina ter, não se vai com facilidade! Assim é comum, que este grupo alimente um sentimento de posse,dominação e obsessão por seu cônjuge, como já dito antes, isto acaba em agressão e até em casos recentes de mortes das suas parceiras!

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Se vocês verem que um homem é usuário de drogas, descartem quaisquer possibilidades de namorar ou se casar com ele. Nem pra ser amigo serve.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Os agressores não respeitam as medidas protetivas por que são maus

Os agressores não respeitam as medidas protetivas por que acham que estão acima de tudo e de todos, e principalmente pela ruindade deles. Os agressores são PSICOPATAS, Os agressores não respeitam as medidas protetivas por que acham que estão acima de tudo e de todos, e principalmente pela ruindade deles. Os agressores são PSICOPATAS, pois psicopata não é doente mental. É mau caráter. Eles sabem o que estão fazendo e agem como se nada tivesse acontecido.pois psicopata não é doente mental. É mau caráter. Eles sabem o que estão fazendo e agem como se nada tivesse acontecido.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Os agressores são ARROGANTES, pois eles não possuem integridade. Eles fazem juras de amor, pedem desculpa mas vacilam e reiniciam o ciclo da violência. Eles não mudam.

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Namorar ou se casar com "homens" violentos e agressivos, acreditar que eles mudam e deixar de denunciá-los dizendo que amam não é amor. É dependência, como o alcoolismo e o tabagismo.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Como agem os agressores

Homens agressores zombam das leis, das autoridades, da Justiça e das mulheres agredidas física e psicologicamente por que eles são MAUS, e também frios, insensíveis, desrespeitosos, desumanos, incapazes de se relacionar e conviver, incapazes de amar e serem amados, intolerantes a frustrações, não aceitam ser contrariados, e claro, não sentem empatia e desconhecem as regras de convivência mais elementares, entre elas a "Seu direito termina onde começa o da outra pessoa".

domingo, 15 de novembro de 2015

Mulheres, vocês tem o direito de começar uma nova vida longe dos agressores

Vocês podem e devem começar uma nova vida longe dos agressores, por que vocês tem esse direito. Vocês precisam de paz e de iniciativa para reagir, não de medo. Me coloco para ajudar, motivar, incentivar, apoiar, aconselhar, dar dicas, enfim para oferecer o melhor a vocês. Tirem o medo das suas vidas. O medo é INIMIGO NÚMERO 1 e um PÉSSIMO CONSELHEIRO, pois só leva para o buraco e deixa vocês piores. Ouçam o que eu falo, pois é para o bem de vocês. Quando vocês ficam com medo vocês fazem o jogo do agressor e ele se aproveita. Se qualquer de vocês sofrer novas agressões ou for morta, eu vou sofrer muito, pois gosto de vocês e lhes quero bem.
Com amor, carinho e dedicação
Rui Ricardo Soares Melo Filho - criador deste blog

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Os homens que falam "o homem da relação sou eu quem manda sou eu" não servem pra se relacionar. Todos eles são complicados e maus.

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Se um agressor descumpre medidas protetivas e ordens judiciais, acionem a Polícia imediatamente!

Se o psicopata se aproxima de vocês tendo Medida Protetiva contra ele, e descumpre ordem de juiz, saibam que é passível de prisão em flagrante. Se isso acontecer não esperem para fazer BO. Acionem a PM para que encaminhem vocês ao distrito policial para formalização da Desobediência.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Mulheres, quem não lhes dá apoio contra um homem violento não gosta de vocês

Quem for contra a decisão de vocês mulheres de romper um namoro ou casamento com um homem violento, seja amigo, parente ou familiar, não lhes valoriza. As pessoas que gostam realmente de nós nos aceitam como somos, não cobram a permanência numa relação com parceiro abusivo e incentivam a sair.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Mulheres, nunca fiquem caladas em caso de assédio, seja ele moral ou sexual

Mulheres, em caso de assédio, nunca fiquem caladas! Denunciem sem pena!
Assediar mulheres, seja o assédio moral ou sexual, não é natural nem cultural.
Assediar mulheres é violência contra a mulher e é crime!
Portanto mulherada, reúnam as provas e denunciem na Delegacia da Mulher e na Polícia!
E representem judicialmente contra o meliante!

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Mulheres, nunca fiquem próximas do agressor depois de sofrer abuso

Vocês não são obrigadas a dormir com o agressor na mesma cama depois de sofrer agressão. Na primeira agressão, denunciem o agressor e separem-se dele sem nenhum medo. Eles é que não tem empatia, remorso, respeito e outros sentimentos. Os culpados são eles. Por isso, quando forem denunciar e fazer a separação, façam ambos friamente, sem pena. Agressor nunca se coloca no lugar da agredida. O ato de rir na cara das agredidas mostra que eles são maus. Achar que um agressor vai mudar é um verdadeiro engano. Nenhum agressor merece o amor de vocês mulheres, nem é digno de instinto maternal, por que eles ficam a cada dia piores.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Mulher não é propriedade do parceiro e tem o direito de ser independente

Mulher não é propriedade
Do namorado ou do marido
Se apossar delas é arbitrariedade
E passo para um crime cometido

Onde tem violência contra a mulher
Todo mundo vai meter a colher
Toda mulher deve ser independente
E despachar psicopata impiedosamente

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Toda mulher tem direito de propriedade sobre seu corpo.
Nenhuma mulher merece sofrer censura moral e agressão verbal, de cunho discriminatório de gênero, em razão das suas roupas ou aparência, nem violências física, psicológica e sexual.
Elas merecem todo respeito, pois chamar uma mulher de cachorra ou de outros nomes do tipo, é um ato do qual elas não gostam, pois assim elas sentem-se ofendidas. 
Com mulheres, todo carinho sempre.


terça-feira, 3 de novembro de 2015

Os "homens" deveriam pensar três vezes antes de abordar uma mulher

Abordar mulheres na rua é violência contra a mulher e é crime.
O homem que usa dessa prática está literalmente invadindo o espaço dela, impondo presença, forçando uma reação. As mulheres não gostam, e assim se sentem acuadas.
Pior é quando os homens não só defendem esse tipo de atitude ("poxa, é só um elogio, qual é o problema?"), como ainda se acham dominantes e que as mulheres não tem o direito de recusá-los.

domingo, 1 de novembro de 2015

Os agressores/assassinos, sendo confessos ou presos em flagrante, não podem responder em liberdade. Eles tem que pagar na cadeia já. 
Dá tristeza ver a vida de uma mulher ceifada pela violência praticada por estes fascistas.